A Polícia Civil de Sorocaba (SP) investiga uma denúncia de agressão a três jovens no sábado (15), dentro do terminal Santo Antônio, o maior terminal de ônibus da cidade. As vítimas afirmam que apanharam e foram xingadas por guardas civis municipais. O grupo alega que foi vítima de homofobia. 

Os três rapazes, todos com 21 anos, contam que estavam no local quando, por volta das 5h, um deles começou uma discussão com o namorado. Neste momento, quatro guardas se aproximaram e começaram a agredir as vítimas. “Eu segurei a jaqueta para que ele [o namorado] não entrasse no ônibus, quando os guardas abordaram a gente”.

Um dos jovens, que trabalha como vendedor, afirma que perdeu a consciência durante as agressões e, quando acordou, percebeu que tinha sido levado para uma sala, onde a violência continuou. O rapaz admite que mordeu a mão de um dos guardas para tentar impedir as agressões. “Foram muitos murros e eu gritei socorro.”

O namorado dele, que é estudante, lembra que estava na área pública do terminal e viu quando os outros amigos também sofreram agressões verbais e físicas por parte dos guardas.  Outro rapaz que também apanhou chamou a PM, mas teria sido impedido de falar com eles. “Dois guardas não me deixaram chegar perto dos policiais e ameaçaram a minha integridade física”, diz a vítima que prefere ter a identidade preservada. 

Atendimento algemado
O rapaz que diz ter sido agredido em uma sala reservada alegou ainda que foi levado pelos guardas até o pronto-atendimento da Zona Norte de Sorocaba, ficou o tempo todo algemado e que o guarda disse que tinha perdido a chave da algema. Ele fala que fez um raio X que foi entregue pela enfermeira diretamente para um dos guardas, e que ele não pode ter acesso ao resultado do exame.

Rapaz de 21 anos que afirma agressão física sofrida pela GCM

No hospital, o jovem levou quatro pontos na sobrancelha e uma receita médica para comprar remédios. Na delegacia, os guardas registraram um boletim de ocorrência apontando os jovens como autores da agressão. Eles afirmaram que os rapazes e a moça se rebelaram contra eles e que um deles chutou um dos guardas, que caiu no chão.

O grupo deverá passar por exame de corpo de delito nesta segunda-feira, pra depois registrar um boletim de ocorrência contra os guardas civis.

Respostas
Em nota, a Guarda Civil Municipal (GCM) esclarece que interveio numa briga entre quatro pessoas de modo a conter a situação, e alega que foi necessária uma ação pontual por conta da exaltação dos envolvidos. Nega qualquer agressão intencional às pessoas e reforça o atendimento prestado a um dos envolvidos na UPH Zona Norte que teria alegado estar ferido.

Também diz que o exame de raio X realizado na unidade de saúde foi recolhido pela GCM para registro de ocorrência no plantão policial; apresentado ao delegado de plantão este optou por não fazer uso, visto que não havia laudo de comprometimento físico.

Fonte, G1.com 17/10/16 as 7h12

Anúncios